Pesquisar
Imprimir
Procura de revendedor
load google maps

Defini??es

Lubrificantes OKS – Máxima eficiência para a mais elevada seguran?a do processo

Valor DN

O valor DN ou o coeficiente de rota??o é uma diretriz para a qual podem ser utilizadas velocidades periféricas de lubrificantes em rolamentos.

Banco de ensaios FZG

O banco de ensaios FZG permite testar óleos e massas, sobretudo relativamente à sua aptid?o para serem utilizados como lubrificantes em engrenagens fechadas. O desgaste é determinado para cada nível de carga, sendo o resultado indicado como "índice de carga de danos". O método de ensaio é descrito na norma DIN 51 354.

Teste "Lubrimeter"

O teste "Lubrimeter" é um equipamento de teste que permite medir o coeficiente de atrito, o desgaste e a temperatura de funcionamento de lubrificantes sujeitos a diferentes solicita??es e velocidades de deslize e com diferentes materiais, ao longo de um período específico.

Separa??o de óleo

A separa??o do óleo é medida segundo a norma DIN 51817, sendo a massa lubrificante sob ensaio sujeita a solicita??es de press?o e temperatura.

Resistência à oxida??o

A resistência à oxida??o de uma massa lubrificante é uma medida da resistência a rea??es com oxigénio puro. Conforme definido na norma DIN 808, a massa tem de ser exposta ao oxigénio durante um período definido (por ex., 100 horas), a uma temperatura específica (por ex., +99 °C ou +160 °C) e sob press?o. O resultado do ensaio é indicado como a redu??o da press?o do oxigénio em Pa (Pascal) enquanto medida do grau de oxida??o.

Espessura de camada (prote??o contra a corros?o)

A espessura de camada exerce uma influência decisiva na dura??o da prote??o contra a corros?o. Dependendo do tipo de camada de prote??o utilizado, pode recorrer-se a diferentes métodos de medi??o para determinar a espessura de camada, a qual é indicada em μm.

Perda por evapora??o

A perda por evapora??o é de particular interesse em lubrificantes para alta temperatura. A perda por evapora??o é investigada sujeitando o lubrificante a uma temperatura alta durante um determinado período, tal como definido na norma DIN 58 397. A perda de óleo por evapora??o, expressa em % de peso, deve ser o mais baixa possível.

Envelhecimento

Modifica??o química de substancias por a??o do calor, da luz e do oxigénio ao longo do período de utiliza??o

DVGW

Deutscher Verein des Gas- und Wasserfaches (Associa??o alem?o de canalizadores)

Lubrificantes EP

Lubrificantes com aditivos de alta press?o ("Extreme Pressure") para aumentar a resistência à press?o e as características de prote??o contra o desgaste.

ISO

International Standardization Organisation (Organiza??o Internacional de Normaliza??o)

Corros?o

Rea??o de um metal ao ambiente onde se encontra, que altera as características e prejudica o funcionamento de um componente

KTW

Aprova??o de plásticos utilizados no setor da água potável

LGA

Landesgewerbeanstalt Nürnberg (Instituto comercial estadual de Nuremberga) e o respetivo "Institut für Lebensmittelchemie" (Instituto de tecnologia alimentar)

Solventes

Líquidos capazes de dissolverem outras substancias sem modifica??es químicas

Lubrifica??o de emergência

é obtida por lubrificantes sólidos, no caso de lubrifica??o com massa ou a óleo deficiente.

Corros?o por fric??o

é a corros?o que ocorre em superfícies em contacto devido a microfric??o oscilante. Aparecimento imediato de ferrugem em partículas de abras?o do a?o.

Deslize aos solavancos (também designado por Stick-Slip)

Ocorre com movimentos lentos e quando o efeito antiaderente do lubrificante n?o é suficiente porque o atrito inicial é superior ao atrito cinética.

óleos de silicone

S?o obtidos por processos de sintetiza??o. Apresentam um comportamento viscosidade-temperatura muito bom, s?o resistentes às temperaturas baixas e altas e ao envelhecimento. Possuem características antiaderentes excelentes. S?o um lubrificante ótimo para plásticos e elastómeros. As designa??es como polidimetilssiloxano ou polifenilenometilssiloxano indicam a estrutura especial do grupo molecular.

óleos sintéticos

S?o óleos obtidos por processos químicos, ao contrário dos óleos naturais – óleos minerais, óleos vegetais e óleos de origem animal. Apresentam certas vantagens, tais como baixa tendência de carboniza??o, ponto de flux?o mais baixo, boa resistência aos produtos químicos e, com frequência, um excelente comportamento viscosidade-temperatura. Os lubrificantes deste tipo utilizam, por exemplo, hidrocarbonetos sintéticos, ésteres, poliglicóis, óleos fluoretados e óleos de silicone.

VCI

O inibidor de corros?o em fase vapor (Volatile Corrosion Inhibitor) é um aditivo de prote??o contra a corros?o ecológico.

Desgaste (também abras?o)

Ocorre depois de romper a película lubrificante, quando os contactos deslizantes se tocam e se esfregam um contra o outro

óleo branco

óleo mineral à base de parafina, altamente refinado para remover componentes instáveis. Os óleos brancos s?o fornecidos, por exemplo, em lubrificantes para utiliza??o em aplica??es médicas

 

Norma/
aplicável a
Título Palavra-chave/
Unidade de medi??o
 Condi??o Descri??o

DIN 51 502

óleos, massas

Lubrificantes e substancias relacionadas; designa??o abreviada dos lubrificantes e identifica??o dos recipientes de lubrificantes, equipamentos de lubrifica??o e pontos de lubrifica??o. Identifica??o DIN de lubrificantes   Identifica??o uniforme e unívoca de lubrificantes industriais baseada nas respetivas normas de ensaio para evitar danos causados pela troca inadvertida de lubrificantes.

DIN 51 506

óleos para compressores

óleos lubrificantes VB e VC com e sem substancias ativas e óleos lubrificantes VDL Requisitos aplicáveis a óleo para compressores   Requisitos aplicáveis a óleos lubrificantes utilizados em compressores de ar com camaras de compress?o lubrificadas a óleo sem arrefecimento por inje??o.

DIN 51 509

óleos para engrenagens
e massas

Sele??o de lubrificantes para engrenagens
Parte 1: óleos lubrificantes ("C")
Parte 2: Lubrificantes plásticos ("G" e "OG") 
Requisitos aplicáveis a óleos e massas para engrenagens   Valores de referência, critérios e indica??es para a sele??o de lubrificantes para engrenagens paralelas (por ex., engrenagens de eixos paralelos, engrenagens de eixos concorrentes sem deslocamento do eixo) e engrenagens de parafuso (por ex., engrenagens de parafuso sem-fim).

DIN 51 517

óleos para máquinas e engrenagens

Lubrificantes; óleos lubrificantes
Parte 1: Requisitos mínimos aplicáveis a óleos lubrificantes "C"
Parte 2: Requisitos mínimos aplicáveis a óleos lubrificantes "CL"
Parte 3: Requisitos mínimos aplicáveis a óleos lubrificantes "CLP"
Requisitos aplicáveis a óleos lubrificantes   Requisitos aplicáveis a óleos lubrificantes para lubrifica??o por circula??o e por imers?o.

DIN 51 519

óleos

Lubrificantes; classifica??o da viscosidade ISO para lubrificantes industriais líquidos ISO Classe VG/
ISO Classe VG
Viscosidade medida a
40 °C conforme a norma DIN 51 562-1 ou DIN EN ISO 3104
Sistema de classifica??o de lubrificantes industriais líquidos em fun??o da respetiva viscosidade. A gama de tolerancia foi definida em +/- 10% da viscosidade nominal.

DIN 51 524

óleos hidráulicos

Líquidos sob press?o; óleos hidráulicos
Parte 1: Requisitos mínimos aplicáveis a óleos lubrificantes "HL"
Parte 2: Requisitos mínimos aplicáveis a óleos lubrificantes "HLP"
Parte 3: Requisitos mínimos aplicáveis a óleos lubrificantes "HVLP"
Requisitos aplicáveis a óleos hidráulicos   Requisitos aplicáveis a óleos hidráulicos
DIN 51 825 Lubrificantes; massas lubrificantes K, classifica??o e requisitos Requisitos aplicáveis a massas para chumaceiras de rolamento e de deslizamento   Requisitos aplicáveis a massas para a lubrifica??o de chumaceiras de rolamento, chumaceiras de deslizamento e superfícies de deslize.
DIN 51 836 Lubrificantes; massas lubrificantes G, classifica??o e requisitos Requisitos aplicáveis a massas para engrenagens   Requisitos aplicáveis a massas para lubrifica??o de engrenagens fechadas.

DIN ISO 2909

óleos

Produtos à base de óleos minerais; cálculo do índice de viscosidade a partir da viscosidade cinemática índice de viscosidade/
sem
Viscosidade medida a
40 °C e 100 °C conforme a norma DIN 51 562-1 ou DIN EN ISO 3104
O índice de viscosidade (IV) descreve a altera??o da viscosidade cinemática de um óleo em fun??o da temperatura. S?o utilizados dois métodos de cálculo diferentes em fun??o do índice de viscosidade (A: VI < 100, B: VI > 100).
DIN ISO 6743-0 Lubrificantes, óleos industriais e produtos relacionados (classe L); classifica??o; generalidades Identifica??o ISO de lubrificantes   Ado??o da norma internacional ISO 6743 como norma alem? DIN. Sistema de identifica??o alternativo de lubrificantes industriais para evitar danos causados pela troca inadvertida.

 

Massas para chumaceiras de rolamento

Valor DN
/mm min
  Valor característico que descreve a velocidade máxima para a utiliza??o de massas para chumaceiras de rolamento.
  • Contacto

    OKS Spezialschmierstoffe GmbH

    Ganghoferstr. 47
    82216 Maisach
    Germany

  • Combinar chamada de resposta

  • Tribology Basic Knowledge

    Tribology Basic Knowledge

    Fundamentals about lubricants and tribology

    Download
汤姆高清影院-汤姆官网